O que é Arte Terapia

O que é Arte Terapia

O QUE É ARTE TERAPIA ?

AUTO-CONHECIMENTO E DESENVOLVIMENTO PESSOAL ATRAVÉS DA ARTE E DE SUA LIVRE EXPRESSÃO

  • Arteterapia é uma profissão assistencial ao ser humano. Ela oferece oportunidades de exploração de problemas e de potencialidades pessoais por meio de recursos físicos, cognitivos e emocionais, bem como a aprendizagem de habilidades, por meio de experiências terapêuticas com linguagens artísticas variadas.

 

  • A terapia por meio das expressões artísticas reconhece tanto os processos artísticos como as formas, os conteúdos e as associações, como reflexos de desenvolvimento, habilidades, personalidade, interesses e preocupações do paciente.

 

  • O uso da Arte como terapia implica que o processo criativo pode ser um meio tanto de reconciliar conflitos emocionais, como de facilitar a autopercepção e o desenvolvimento

 

ARTE,do latim ars, arts, de agere, agir, movimento.

ARTE é uma produção única, original.

CRIATIVIDADE, do francês couer, coração.

TERAPIA, transformação, cura.

ARTETETERAPIA – A ação de transformar curar com o coração, através da ARTE.

 

  • O ARTETERAPEUTA TRABALHA COM OS REGISTROS DOS MOVIMENTOS DO CORAÇÃO.

 

  • ESSES REGISTROS , SE MANIFESTAM NAS NOSSAS PRODUÇÕES PLÁSTICAS, TORNANDO- SE UM CAMPO FÉRTIL DE PISTAS SOBRE QUEM SOMOS, COMO ESTAMOS E COMO NOS SENTIMOS.

ANGELA PHILIPPINI

 

O PAPEL DO ARTE TERAPEUTA COMO DESENVOLVE O TRABALHO:

O arte terapeuta deve perceber o valor terapêutico do material para cada cliente, qual o material que se encaixa bem naquele momento, qual em particular naquela situação favorece a solução dos conflitos internos e inconscientes do indivíduo, qual vai facilitar e fortalecer as potencialidades do cliente, etc.

A questão é sentir o que é melhor para o cliente naquele momento, a fim de permitir que a pessoa entre em contato com o que está produzindo simbolicamente.

 

Modalidades Artísticas: desenho, pintura, modelagem, recorte e colagem, construção.

REFLEXÕES IMPORTANTES SOBRE O DESENHO

 

DESENHO – DESÍGNIO

 

  • A palavra desenho tem originalmente um compromisso com a palavra desígnio. Ambas se identificam. Na medida em que restabelecemos, efetivamente, os vínculos entre as duas palavras estamos recuperando a capacidade de influir no nosso viver.
  • Assim, o desenho se aproximará da noção de projeto (pró-jet), de uma espécie de lançar-se para frente.
  • O indivíduo desenhando está afirmando a sua capacidade de designar
  • Desígnio: plano, projeto, intenção, propósito, destino.

 

Desenhar é dar um propósito, um destino.

 

 

DESENHO, UM RETRATO DO MUNDO INTERNO.

 

  • Uma das funções do desenho é evocar a forma, a estrutura, a essência dos objetos.
  • A natureza do sistema do desenho vincula-se à criação de símbolos para expressar visualmente idéias, sensações, lembranças, sonhos, emoções, sentimentos e fantasias
  • O desenho é um meio facilitador de expressarmos nossas histórias pessoais.
  • O desenho fala, chega mesmo a ser uma espécie de escritura, uma caligrafia, dizia Mário de Andrade.
  • Os indivíduos visam reconstruir, representar visualmente suas vivências no desenho, socializando experiências individuais
  • O desenho é um processo que permite que as imagens sejam clareadas, reexaminadas.
  • O desenho é para a criança uma linguagem como gesto ou a fala.
  • A criança desenha para falar e poder registrar a sua fala.
  • O desenho é sua primeira escrita.
  • A criança desenha para falar de seus medos, suas descobertas, suas alegrias e tristezas.
  • A criança não desenha o que vê mas o que sabe e o que sente. Seu saber é seu sentir e sua percepção.
  • Se a criança desenha para contar sua história, encontramos também a criança que não desenha para não contar sua história.

 

 

Neste momento entram os arte-terapeutas…

 

DESENHO

 

  • Estimula a expressão de idéias, ideais, sentimentos;
  • Desenvolve o raciocínio;
  • Favorece o senso de organização interna e externa;
  • Favorece a síntese e a objetividade;
  • Estimula a psicomotricidade;
  • Favorece o desenvolvimento da coordenação viso – motora e espacial;
  • Exercita a memória;
  • Pode também com técnicas específicas favorecer a descarga de tensão e da agressividade;
  • É ideal para quem tem dificuldade em se comunicar e se posicionar.

 

O desenho objetiva a forma, a precisão, o desenvolvimento da atenção, da concentração, da coordenação viso-motora e espacial. O desenho também concretiza alguns pensamentos e exercita a memória, bem como está relacionado ao movimento e ao reconhecimento do objeto e tem função ordenadora (Valladares, 2000/2001; 2001; 2003; 2004a e b; 2005).

 

 

PINTURA

 

A pintura refere-se genericamente à técnica de aplicar pigmento em forma líquida a uma superfície, a fim de colori-la, atribuindo-lhe matizes, tons e texturas.Em um sentido mais específico, é a arte de pintar uma superfície, tais como papeltela, ou uma parede (pintura mural ou de afrescos).

 

Essa palavra ainda não possui nenhuma definição, mas Ângela Philippini retrata a PINTURA como : COR – AÇÃO.

È a melhor definição que já encontrei.

 

A pintura na arteterapia consegue resgatar os aspectos mais saudáveis da personalidade.

Dentre as modalidades expressivas em arteterapia a pintura é a que possibilita o melhor fluir das emoções e isto porque a fluidez da tinta e sua função liberadora induzem o movimento de soltura, de expansão, trabalhando o relaxamento dos mecanismos defensivos de controle (Valladares, 2004a; Valladares & Carvalho, 2005b).

 

De acordo com Jung, as pinturas devem ser “estudadas em série. Isoladas, parecem sempre indecifráveis. E, de fato, é difícil apreender a significação de uma única imagem. Será necessário o estudo comparado de muitas pinturas para compreendê-las” (SILVEIRA, 1982).

 

 

“Pinturas, do mesmo modo que sonhos, se examinadas em séries, revelam a repetição de motivos e a existência de uma continuidade no fluxo de imagens do inconsciente”.

(SILVEIRA, 1982).

O ATO DE PINTAR FACILITA, POR SI PRÓPRIO, REORGANIZAR O MUNDO INTERNO.

 

  • A Dra. Nise da Silveira, trabalhando no Hospital Psiquiátrico do Engenho de Dentro (RJ), com doentes mentais num atelier de pintura, observou a qualidade terapêutica do ato de pintar, não apenas como possibilidade de se conhecer o mundo interno do paciente, mas que os atos de desenhar e pintar são terapêuticos.
  • “A experiência também nos demonstra que a pintura pode ser utilizada pelo doente como um verdadeiro instrumento para reorganizar a ordem interna e ao mesmo tempo reconstruir a realidade.”

 

Pintura

 

  • As tintas mexem diretamente com as emoções e afetos facilitando a libertação de conteúdos inconscientes.
  • Auxiliam na estruturação do mundo interno, subjetividade;
  • Mexer com a água faz os sentimentos fluírem melhor, a pessoa, então consegue expressá-los com mais naturalidade;
  • Quando não há algo pré estabelecido ou um prévio planejamento a pintura fomenta o desbloqueio criativo.
  • Pintar é criar uma superfície e a pintura favorece a magia e a liberdade de expressão;
  • Criar cores favorece encontrar novos caminhos para nossa vida.
  • A pintura propicia a percepção emocional das cores.
  • A pintura propicia a oportunidade de abrir mão do controle.

 

 

RECORTE E COLAGEM

 

Recortar significa separar, dividir, tirar de. Também pode significar contornar, cortar seguindo contornos de uma figura, uma imagem. Em outras situações o recorte pode se relacionar com as escolhas, com o reduzir e sintetizar .

Colar significa unir, juntar. Trabalhar com colagem em específico representa a união e coesão daquelas partes desintegradas ou cindidas do eu. Adolescentes normalmente aceitam muito bem tal atividade já que estão na fase de do retirar, do mudar e transformar o corpo, os valores, idéias, etc

Pensando que normalmente a colagem acaba envolvendo algo de recorte, o mesmo também pode trabalhar os recortes que devem ser feitos na vida.

Trabalhar especificamente com recorte é muito interessante em todos aqueles casos onde existe a necessidade da ruptura de vínculos, de dependência e simbiose.

Ao associarmos recorte e colagem, fazemos um trabalho de transformação: cortamos o que de certa forma não desejamos, não é necessário, não é significativo no momento e agregamos com cola aquilo que representa o que desejamos fixar, representar, preservar e elaborar.

Em muitas situações o ato de colar favorece a organização e a objetividade.

A colagem é excelente para o início do trabalho terapêutico. É fácil de executar, os recursos materiais são muitos e de baixo custo como revistas, folhas de papel diversos, tecidos, lãs, folhas, sementes, galhos, entre outros.

 

Colagem / recorte

  • Estimula a percepção através da escolha das formas, cores, textura e brilhos.
  • Desenvolve a psicomotricidade.
  • Promove a organização e a praticidade.
  • Estimula a organização espacial.
  • Incentiva a criatividade.
  • Favorece a concentração
  • Alimenta a paciência.
  • Sintética
  • Ordenadora
  • Favorece os movimentos das articulações, sendo ótima para prevenir doenças como LER, ARTROSE e ARTRITE.

 

Para Angela Philippini “as colagens nos dão pistas simbólicas, não só através da mnatureza das imagnes escolhodas em uma composição mas também através da relação entre figuras, pela presença de polaridades cromáticas ( policromia e monocromia), pela posição e forma de ocupação no suporte , pelo modo como se movimentam e se relacionam entre si as imagens”.

 

 

MODELAGEM

 

Moldar significa adaptar o molde; formar o molde de.

Quando modelamos produzimos, damos formas e contornos, adaptamos, criamos e recriamos.

Pegar o barro nas mãos, tocá-lo e, então, perceber a sensação de frio ou calor, sua plasticidade, sua flexibilidade, sua textura e seu cheiro é poder fazer uma volta às origens, lembrar das raízes, da sustentação e da estrutura (CHIESA, REGINA FIOREZI, 2004).

A argila é um dos materiais mais primitivos com que se podem trabalhar. Existe tanto a argila própria para trabalhos artísticos, que pode ser comprada em papelarias, quanto nós mesmos podemos fazer a mistura de terra e água, preparando o material..

A mistura de terra e água, equivale a um ponto de equilíbrio entre o princípio de realidade e das emoções.

Preparar a própria argila não deixa de ser um ritual alquímico para o paciente, pois este vai misturar e dando um ponto de equilíbrio aos princípios da terra (realidade), água (emoções), fogo (espiritual) e ar (inteligência). Aqueles que se encontram com alguns aspectos de personalidade cindidos, podem ter neste processo uma forma de junção e coesão de tais aspectos.

É um importante descarregador de energias, visto que ao ser manipulada, faz interessante trabalho corporal e muscular que leva ao relaxamento. Bastante utilizada em trabalhos para agressividade e relaxamento.A modelagem é uma atividade especialmente sensorial, trabalha o contato direto entre a mão e o material.

O interessante é dar asas a imaginação. É importante que ela seja manipulada livremente, de forma intensa e por quanto tempo o paciente desejar antes de dar uma forma. Conforme se trabalha, as mãos esquentam e ela fica ligeiramente mais mole o que facilita a modelagem. Água deve ser deixada a disposição para que se umedeça o material sempre que a pessoa achar conveniente, bem como palitos para fixação e entalhes. Depois de seca, pode ser pintada e decorada conforme o desejo do “artista”.

 

Quando o cliente prepara o seu próprio barro, misturando a terra e a água procurando encontrar um ponto de equilíbrio pode ter neste processo, uma forma de junção e coesão de seus aspectos psíquicos, propiciando a estabilidade entre o concreto, a realidade (terra) e os sentimentos, a flexibilidade (água).

 

 

Modelagem com barro, argila ou produtos naturais, sem agrotóxicos.

 

  • É excelente para descarregar a tensão, conseqüentemente combate o stress;
  • É revigorante porque contrai e relaxa a musculatura;
  • Estimula os órgãos internos, facilitando a circulação;
  • Diminui a rigidez nas articulações das mãos;
  • Reduz a agressividade e ansiedade;
  • Estimula a sensação tátil;
  • Amplia a consciência através do tato;
  • Proporciona a possibilidade de criar;
  • Proporciona a oportunidade de fácil reparação do erro (quando erramos na construção de algo com a argila é só novamente moldar, o resultado fica sem marcas ao contrário do lápis);
  • É recomendada para pessoas muito rígidas, tensas e críticas;
  • Segundo a psicanálise,é um ótimo recursos para crianças com fixação na fase anal.

 

 

Bordado e Tecelagem

  • amplia as percepções que se tem do mundo
  • permite o desenvolvimento da atenção, concentração e organização.
  • possibilita lidar com os pequenos espaços
  • cria ritmo adequado de atividade
  • desenvolve a precisão de movimentos
  • estimula o raciocínio por meio da contagem de pontos
  • favorece a psicomotricidade
  • exercita a disciplina, a obediência e a possibilidade de lidarmos com a perfeição
  • acalma e tranquiliza
  • indicado àqueles que exercem profissões que impõe uma rotina de trabalho repetitiva ou para aqueles que necessitam de uma rotina, uma disciplina.

 

CONSTRUÇÃO

 

Originada no verbo construir, que significa dar estrutura a, edificar, fabricar, organizar, dispor, arquitetar, formar, conceber, elaborar (Ferreira, 1986);

  • Construção favorece a concentração, a psicomotricidade, a elaboração, a atenção, a paciência, o centramento, a percepção de eixo e o equilíbrio físico, mental e emocional.
  • O processo da construção propicia o classificar, selecionar e organizar.
  • Caracteriza-se por estruturas tridimensionais visando harmonia e ordem visual.
  • É a mudança através do concreto, edificando,   estruturando.

 

  • CONSTRUÇÃO: é o ordenamento do caos. Chevalier e Gheerbrant

 

As técnicas de construção em Arteterapia, a meu ver, são as mais complexos. Demandam simbolicamente a consciência e a integridade de uma estrutura interna organizada , coesa e bem introjetada. Esta estrutura interna abrangerá percepção de eixo, centramento,integração entre segmentos e, se este equilíbrio não estiver sendo percebido internamente, não poderá ser expresso fora. Esta estrutura interna abrangerá percepção de eixo, centramento,integração entre segmentos e, se este equilíbrio não estiver sendo percebido internamente, não poderá ser expresso fora.

Na produção simbólica, o mesmo poderá ser aprendido ou reaprendido nos erros e acertos de tentar edificar e de constatar que nem sempre as próprias concepções de equilíbrio resultam acertadas.A materialidade sempre apresentará de modo óbvio estas dificuldades, e atravessá-las e resolvê-las permitira que, analogamente, processos emocionais se reorganizem. “Angela Philippini.

 

CONSTRUÇÃO COM SUCATAS

 

  • O trabalho com a sucata estimula a reconstrução, a criatividade, as percepções, a atenção, a construção, a transformação, o concreto e a mudança.
  • É um material transformador, pois abre uma possibilidade de dar uma nova construção, uma outra utilidade ao que antes era imprestável. É a mudança através do concreto, é a busca de possibilidades de transformação e do reaproveitamento.
  • Materiais diversos devem ser utilizados (plásticos, tampas, vidros, papéis, madeira, tecidos) de forma livre ou dirigidos. A utilização da sucata favorece a manifestação de elementos intrínsecos da personalidade, como o transformar algo “ruim” (materiais inutilizados), em uma nova forma dando um novo sentido aos materiais.
  • A utilização da sucata favorece a manifestação de elementos intrínsecos da personalidade, como o transformar algo “ruim” (materiais inutilizados), em uma nova forma dando um novo sentido aos materiais.

 

Recriando novos objetos resgatamos aspectos mais saudáveis e estruturantes da personalidade. Ana Claudia Valladares

 

Bibliografia:

 

– Arteterapia : A transformação pessoal pelas imagens, Maria Cristina Urrutigaray, Wak Editora.

– Para entender Arteterapia: Cartografias da Coragem, Ângela Philippini, Wak Editora

– Diálogo com o barro; encontro com o criativo, Regina Chiesa, Casa do Psicólogo.

– Linguagens e Materiais e expressivos em Arteterapia, Ângela Philippini, Wak Editora.

– O mundo das imagens, Nise da Silveira, – Ática Editora.

 

Obs: Material extraído do Curso de Pós – Graduação em Arte Terapia no Instituto Freedom SP ministrado pela Profa. E Arte Terapeuta Fabiola Gaspar.